Blog

“O setor de móveis precisa passar por uma transformação”

Seguindo os passos do pai e trabalhando com ele à frente de 18 lojas de móveis em Salvador, o empresário Rafael Bacetto acredita que 2018 será um ano difícil e repleto de muitos momentos impactantes, como a Copa do Mundo e as eleições. Diante disso, defende que o segmento precisa estar preparado para trabalhar muito e se reinventar. “O setor de móveis precisa passar por uma transformação o mais rápido possível, com profissionalização e uso da tecnologia nos processos, que são fatores essenciais para seguirmos os avanços dos outros mercados”.

1- Como e quando você começou a trabalhar com o mercado moveleiro?

A nossa história no setor moveleiro começou com o meu pai, que veio de São Paulo para Salvador há cerca de 10 anos e, através de uma necessidade em atender os pequenos clientes, abriu uma distribuidora de móveis. Depois disso, em 2013, inauguramos juntos a Baianão Móveis e estamos chegando este ano a 18 lojas.

2- Quais são os principais desafios do setor?

Acredito que o maior desafio do setor seja a parte de serviços prestados, desde o atendimento até o pós-venda. Infelizmente, existem muitos profissionais despreparados, que acabam comprometendo todo o processo.

3- Há algum ponto em que o setor precisa melhorar?

Eu acredito que o setor de móveis precisa passar por uma transformação o mais rápido possível, com profissionalização e uso da tecnologia nos processos, que são fatores essenciais para seguirmos os avanços dos outros mercados.

4- Como estão as expectativas para este ano?

Será um ano muito confuso, com eventos impactantes como a Copa do Mundo, as eleições, a continuidade dos processos políticos e a retomada lenta da economia. Por todos esses motivos, 2018 não mostra sinais de melhora como gostaríamos e, além disso, acreditamos que serão mais dois ou três anos difíceis. Estamos nos preparando para trabalhar muito.

5- Qual é a importância de participar de eventos como o Showroom Yes Salvador?

Participar é fundamental, seja para buscar conhecimento, se atualizar ou fazer novos negócios de acordo com as tendências do segmento. Hoje em dia, tudo muda muito rápido e, por isso, os eventos são fundamentais. Quem não participa, fica para trás.